O que é?


É um método utilizado sobretudo na reabilitação pediátrica e defende a prática do exercício intensivo como premissa fundamental. Inspirado nos efeitos do espaço sobre a massa muscular, uma vez que a ausência de movimentos anti-gravíticos provoca diminuição da mesma com relação directa de perda de densidade óssea, condição que se verifica am crianças com paralisia cerebral, e que compromete o movimento activo para a aquisição das etapas motoras.

O seguinte vídeo demonstra, de uma forma prática, o modo como os astronautas regressam à terra, com a ausência de movimentos anti-gravíticos :

 

 

Assim, e tendo em conta que na população com sequelas neurológicas, qualquer perda do ponto de vista músculo-esquelético não é um factor positivo para a reabilitação, a prática do exercício com enfoque no fortalecimento muscular intensivo específico e adequado é fulcral, combatendo os efeitos de desuso e atrofia muscular com as suas condições adjacentes.

Para se obter o fortalecimento muscular, outros processos inerentes como a conservação de amplitudes de movimento, a activação muscular, a reeducação da sensibilidade, entre outros, necessitam de ser estimulados e assim proporcionar ganhos ao nível da normalização do tónus, variabilidade de movimentos e resistência muscular essencial à manutenção e aquisição das etapas do desenvolvimento sensório-motor. Para a manutenção e aquisição destas etapas, o método também contempla uma vertente de estimulação sensorial, focando-se maioritariamente na estimulação vestibular e proprioceptiva, tão importantes para conquistas ao nível do equilíbrio e coordenação.

 

A quem se destina?

 

Foi inicialmente delineado para crianças com paralisia cerebral, uma vez que os autores, Richard e Izabela Koscielny, fisioterapeutas e pais de uma menina portadora desta patologia com sequelas de quadriplegia espástica, através das suas experiências nas visitas aos vários centros internacionais de reabilitação.

Na área da Pediatria, casos de Atraso no Desenvolvimento, Traumatismo Crâneo-Encefálico, Acidente Vascular Cerebral, Espinha Bífida, Traumatismo Vertebromedular, Síndrome de Down e outros, benefeciam do método tal como Adultos portadores das mesmas.

Existem casos que o método não deve ser aplicado e algumas precauções são indicadas. Por isso, uma avaliação prévia deve ser realizada com intuito de dar continuidade ao processo de intervenção do referido método.

 

O que é necessário para implementar o método?

 

Os técnicos que implementam o método têm de realizar o curso de formação intitulado de Pediatric Intensive Therapy: Therasuit Method, leccionado por Izabela Koscielny, e assim estarem certificados para a sua prática. Para a intervenção são necessários materiais e equipamentos específicos, nomeadamente:

 

Universal Exercise Unit e seus acessórios: o trabalho aqui desenvolvido é dividido em dois sistemas: Pulley e Spider.

 

Universal Exercise Unit

 

No sistema Pulley, o utente deve ser preparado para, de forma independente ou assistida, realizar movimento com a força da gravidade eliminada através da suspensão dos diferentes segmentos corporais e/ou o corpo em questão. Aqui é trabalhado sobretudo o sistema músculo-esquelético.

 

Suspensão em supino no Pulley.

 

No sistema Spider, o utente deve realizar movimento enquanto o corpo se encontra suspenso através de um sistema dinâmico de cordas elásticas. A componente sensório-motora é estimulada maioritariamente nesta fase do método.

 


Alongamento hemicorpo na posição de sentado no Spider .

 

Suit: Composto por touca, colete, calção, joelheiras, cotoveleiras e borrachas; oferece alinhamento, uma vez que as borrachas, com resistência gradual consoante o tamanho do fato, permitem activar/inibir a musculatura pretendida com uma correcção dinâmica em simultâneo. O recurso ao fato pode ser feito no sistema Spider, em trabalho de colchão e ambientes proporcionados conforme objectivos terapêuticos.

 

Alguns exemplos dos suits existentes. O amarelo corresponde à idade compreendida entre os 3 e os 5 anos, o vermelho entre os 5 e 8 anos, o verde entre 8 e 12 anos e o azul dos 12 a Adulto.

 

O suit de adolescente/adulto na nossa Fisioterapeuta Adriana Machado.

 

Para mais informação sobre o método pode consultar a página oficial (http://www.suittherapy.com) ou entrar em contacto connosco.


Therasuit no CHS-CEI


O Therasuit no CHS-CEI é um método que veio enriquecer a nossa filosofia. No âmbito das 7 horas de re(habilitação), quando aplicável, é distribuido pelas valências de fisioterapia, terapia ocupacional e de terapia da fala.

Como se trata de uma metodologia que engloba vários conceitos, desde a componente muscular até à sensorial, a equipa disponibiliza de técnicos especializados na valência de fisioterapia e de terapia ocupacional, sendo a única clínica de re(habilitação), em Portugal, que combina estas duas áreas de diagnóstico e terapêutica no referido método.

 

Artigos de interesse:

Therasuit Article PDF

HBOT Therasuit for adults PDF

Voltar