O que é?

 

A electroterapia baseia-se no uso de correntes eléctricas na terapia, com o objectivo de tratar tecidos nervosos e musculares em diferentes condições neuromusculares, melhorar a circulação local, cura tecidual, diminuição da dor e também o aumento da amplitude articular.

 

Existem várias correntes de electroterapia com vários objectivos, entre elas: o TENS, designado como estimulação eléctrica neuromuscular transcutânea e tem como objectivo o alívio da dor aguda e crónica; a corrente interferencial que consiste na aplicação de duas correntes de frequências diferentes, que se cruzam e originam uma nova corrente. Esta corrente é a que vai promover a estimulação muscular.

 

A quem se destina?

 

A electroterapia pode ser aplicada em diferentes patologias do foro ortopédico e neurológico, contudo, possui várias vertentes, como descrito em cima, e, assim sendo, cada vertente tem os seus destinatários. Deste modo, a corrente TENS destina-se a indivíduos portadores de diferentes tipos de dor, como dor neurogénica, dor músculo-esquelética ou dor visceral, a corrente interferencial, destina-se principalmente a indivíduos com fraqueza muscular, contudo, está indicada para o alívio da dor, redução de edemas e de equimoses, ajuda a restaurar a função motora, aumenta a força muscular, ajuda no relaxamento muscular e na diminuição das contracturas musculares.

 

O que é necessário para implementar o método?

 

Os técnicos que implementem o método (da responsabilidade do departamento de Fisioterapia) devem ter incutida a informação sobre electroterapia, como os diferentes tipos de frequências, as indicações, contra-indicações, efeitos adversos, procedimentos de aplicação. Para a intervenção são necessários materiais e equipamentos específicos, nomeadamente:

 

  • Aparelho de electroestimulação
  • Elétrodos
  • Marquesa
  • Cunhas ou rolos
  • Materiais para promover o movimento ativo aquando a aplicação da electroestimulação
Voltar