O que é?


As bandas neuromusculares surgiram nos finais dos anos setenta na Ásia, nomeadamente na Coreia e no Japão, sendo o Dr. Kenzo Kase o seu criador.

Os termos de Taping NeuroMuscular e Kinesiotaping são correcta e vulgarmente atribuídos para a mesma designação de bandas neuromusculares.

Um dos conceitos actuais deste método baseia-se na tensegridade: "...ou integridade tensional - propriedade presente em objectos cujos componentes usam a tracção e a compressão de forma combinada, para proporcionar-lhes estabilidade e resistência."

É um método que apresenta vantagens em relação a outros, como as ligaduras funcionais, uma vez que não restringe movimentos, não gera pressão, activa a circulação sanguínea e linfática permitindo o uso continuado, uma vez que é resistente à água e não provoca compressão cutânea.

Segundo alguns autores a cor da banda influencia a eficácia da intervenção, uma vez que, e à luz dos mesmo autores, as doenças devem-se a desequilíbrios/ carência de determinada cor no organismo e a terapia pela cor vai actuar reequilibrando as alterações de energia. Cada cor tem o seu efeito compensador, portanto:

Rosa: Vitaliza e dá energia; favorece a circulação sanguínea.

Azul: cor calma, tranquiliza e proporciona harmonia Facilita relaxamento.

Laranja: Cor quente, proporciona energia. Aplicações musculares.

Negro: (ausência de cor) relaciona-se com o seu efeito absorvente de energia, equilibra.

 

Algumas das ferramentas necessárias para a aplicação de bandas neuromusculares.

 

A quem se destina?


Podem ser aplicadas em todas as faixas etárias com o objectivo de activação/inibição muscular, aplicação ligamentar e correcção articular. A aplicação em cicatrizes, fibroses e hematomas é também uma abordagem.

Existem contra-indicações assim como precauções específicas. Por isso, e tendo em conta a individualidade de cada utente/necessidade, é realizada uma avaliação prévia para eventual aplicação de bandas neuromusculares, uma vez que, e sobretudo na área da Neurologia, os princípios de aplicação são ligeiramente diferentes da área músculo-esquelética.

 

O que é necessário para implementar o método?

 

Os técnicos que aplicam bandas neuromusculares têm de ser certificados por uma entidade habilitada de formação nesta área.

 

Bandas Neuromusculares no CHS-CEI

 

Os objectivos inerentes à aplicação das bandas neuromusculares são discutidos em equipa. Por sua vez, os elementos com formação procedem à sua aplicação nas áreas de avaliação diagnóstica e terapêutica. Salienta-se que a reabilitação combinada deste método com outras técnicas, fundamentalmente na área da Neurologia, potencia a evolução do utente.


 

Exemplo1: Pré e pós colocação de bandas neuromusculares com efeito de activação muscular e correcção articular nos membros inferiores, na área da Pediatria.


 

Exemplo 2: Correcação mecânica na articulação tibiotársica em Adultos.


 

Exemplo 3: Activação muscular e estabilização no tronco em Pediatria.

 

 

Artigos de interesse:

artigo bandas 1 PDF

artigo bandas 2 PDF

Voltar